Ética Empresarial e Niilismo

 “Não existe vento favorável á quem não sabe para onde ir.”

Arthur Schopenhauer

O niilismo pode ser traduzido como um desapontamento generalizado em relação a um tema ou a toda estrutura da sociedade, é um sentimento de apatia, tédio e desesperança em relação ao futuro, é um sintoma global, bem retratado pelo cinema na febre do apocalipse zumbi, seres que caminham para o nada e contagiam uns aos outros com sua semi-morte levando consigo toda a civilização a decadência. Por trás disso está um sentimento de “mal estar”, impotência e desconforto em relação ao presente e principalmente ao futuro.

Se existe um campo estratégico em que este sentimento pessimista é epidêmico é no campo da Ética Empresarial no Brasil. Compreendo que nosso país possui um histórico lamentável em atitudes éticas, mais é também verdadeiro que a mesma está em uma crescente mudança, as manifestações populares, os escândalos que explodem (o que não era comum há décadas atrás) são sintomas de uma sociedade que está em busca de mais integridade e se contorce em revolta.

A história do desenvolvimento da ética nos negócios é também uma narrativa de rupturas e pressões externas, seja social, político ou do próprio meio empresarial que impulsionaram mudanças gradativas e impactantes em todo o ciclo do mercado. O Brasil, apesar dos conformistas de plantão, está no caminho de uma maior transparência, não só porque nos conscientizamos que bons princípios geram bons princípios, mas porque estamos sendo afunilados por um mundo em que Reputação, a Humanização das Relações, a Responsabilidade Ambiental e Social se transformaram em fatores de sobrevivência diante da concorrência acirrada. Juntamente com o fator Inovação, a Ética está destinada a se tornar a Grande Alma do Negócio.

O caso de empresas como a Eternit:

“que fazem parte do Novo Mercado, seguimento da Bovespa que reúne as empresas transparentes e com as melhores práticas de gestão, e aumentou a distribuição de dividendos. De lá para cá, as ações subiram mais de 900%, enquanto o Ibovespa ganhou 180%.”  (Ref. Revista Exame/2012)

Só no campo da Sustentabilidade empresas como a Volkswagen, a Petrobrás e a Companhia Siderúrgica Nacional, já geram um aumento significativo em ativos, quebrando um tabu milenar sobre a Ética: Sim, ela dá Resultado e Lucro.

Exemplos como da Bovespa, que lista as empresas com maior transparência, indicam um novo caminho a ser seguido pelas corporações no intuito de se moldarem aos novos parâmetros exigidos.

A ideia de um futuro incerto, de uma sociedade que segue sem rumo é realmente assustadora. Porém, no mundo dos negócios, o niilismo pode ser dissipado através de procedimentos éticos, que ofertem: OBJETIVOS.

As pessoas (sejam parceiros, colaboradores ou clientes) anseiam – desesperadamente – por estruturas bem delineadas que ofertem confiabilidade e segurança, sem isso a horda de pessimistas ainda superlotarão as empresas brasileiras com o discurso do “aqui é assim mesmo”.

Para as corporações adormecidas, vagando em zig-zag, o mercado será pouco amistoso nos próximos anos, o futuro deve ser traçado imediatamente. Para isso conte conosco, a Ética&Negócios nasceu com o propósito claro de ofertar um rumo seguro para um mercado mais Ético.

 _________________________________________

Outras referências:

http://www.bmfbovespa.com.br/pt-br/a-bmfbovespa/download/Folder_NovoMercado.pdf